Almarin prevê que sua nova bóia económica será a referência para balizas temporárias

21-02-2022
Entrevista com o gerente geral, Aleix San Vicente, no Diario del Puerto
Entrevista com o gerente geral, Aleix San Vicente, no Diario del Puerto

A Almarin, empresa especializada na fabricação e distribuição de ajudas à navegação marítima e pertencente ao Grupo Lindley, acaba de lançar no mercado a nova B1250A, projetada para ser uma bóia económica que atende às normas do Portos do Estado. Segundo o diretor geral da Almarin, Aleix San Vicente, em entrevista ao Diario del Puerto, "embora nem todos os balizamentos tenham a mesma importância, todos devem cumprir as normas nacionais e internacionais". A este respeito, Aleix San Vicente detalha que as adaptações das bóias de praia são utilizadas para balizas temporárias para obras ou obstáculos temporários, pequenos canais e zonas de navegação de recreio, por vezes equipadas para segurar uma lanterna no topo. A sua utilização "muito comum" deve-se ao seu preço económico, embora "infelizmente estas bóias não cumpram os requisitos dos regulamentos da Associação Internacional de Ajudas Marítimas às Autoridades de Navegação e Farol (IALA) e Portos do Estado, uma vez que não têm uma área visível suficiente, plano focal ou reserva de flutuabilidade”.

B1250A, a caminho de ser uma referência

A nova bóia B1250A que a Almarin trouxe ao mercado oferece uma solução para este problema “sendo uma bóia de custo acessível, com boas características e atendendo aos requisitos de tamanho e alcance”, afirma o gerente geral da empresa. O diferencial do produto é o seu desempenho nessa faixa de preço, “sendo uma bóia que mantém a nossa filosofia de uma bóia inteira e estrutura de aço galvanizado para transmissão de carga”. Por enquanto, a empresa recebeu um pedido de 30 unidades para um teste num canal de navegação e "a minha expectativa é que seja a bóia de referência para balizas temporárias e a melhor solução possível para este segmento", diz Aleix San Vicente .

Outros projectos

Paralelamente ao lançamento deste novo produto, a equipa da Almarin está atualmente a trabalhar numa série de diferentes projetos portuários. Em termos de sinalização marítima, a empresa concluiu recentemente a atualização do balizamento marítimo dos portos de Mataró, Arenys de Munt e Vilanova, na Catalunha. Em poucos meses, planeia fornecer novos balizas marítimas para o Porto de Melilla e Ilha Isabel II, nas Ilhas Chafarinas, e planeia instalar as novas balizas em Puerto Caldera, na Costa Rica. No domínio da construção de marinas e portos desportivos, a empresa está a efetuar o fornecimento e instalação de dois quebra-mares flutuantes: "um para protecção do Porto de Aguete, em Pontevedra, e outro para atenuação das ondas no Real Club Marítimo de Santander”, destaca San Vicente. Da mesma forma, nos últimos anos a Almarin tem vindo a trabalhar no reforço da área de construção de zonas de atracação para embarcações e fá-lo de mãos dadas com a Lindley, o seu parceiro fabricante de pontões, que tem uma vasta experiência em Portugal e também em países como o Brasil, Angola, etc. “O nosso objetivo é transferir o seu know-how e os seus produtos para projectos que se desenvolvem na Península Ibérica”, destaca. Em suma, "o nosso trabalho é assessorar o porto ou entidade competente, seguindo as orientações dos Portos do Estado e do IALA, na melhoria das suas instalações e da sua segurança, seja através da elaboração de projectos de balizamento marítimo, inspecções, actualizações de elementos ou novas abastecimentos ou ações de manutenção”, diz Aleix San Vicente.

Escassez de matérias-primas e preços crescentes

Depois de fechar 2021 com lucros, a Almarin encara o novo ano com otimismo, “vendo que o setor marítimo está muito ativo com projetos de ampliação ou renovação das suas instalações marítimas”, afirma o seu gerente-geral. Além disso, "nos últimos anos, detetámos um aumento do interesse em criar espaços de lazer através da construção de pontões e piscinas flutuantes de forma sustentável e respeitosa em áreas naturais como reservatórios, lagos, rios, etc.", aponta Alex San Vicente. Apesar disso, a empresa está ciente de que “o maior desafio que nós e todo o setor vamos enfrentar é a escassez de matérias primas e a consequente subida de preços. Embora confiemos que uma normalização chegará no final deste ano”, detalha San Vicente. Como parte do Lindley Group, formado por quatro empresas marítimo-portuárias e industriais, as diferentes empresas enfrentarão os seus próprios desafios. “A Almovi, por exemplo, adquiriu recentemente a empresa Florestal e vai agora reforçar a sua gama de produtos já existente com este equipamento para a manutenção de áreas verdes”, adianta Aleix San Vicente.

Infraestruturas para Vela Adaptada
Infraestruturas para Vela Adaptada

O Grupo Lindley está fortemente comprometido com o projecto da vela adaptada. Um dos seus objetivos consiste em conceber, fabricar e instalar infraestructuras flutuantes adaptadas às necesidades de pessoas com mobilidade reduzida.

Cais Flutuantes
Cais Flutuantes

No Grupo Lindley construímos cais para abrir novos espaços de lazer em ambientes naturais. Os ancoradouros são feitos de materiais que se adaptam ao seu ambiente, seja com uma estrutura de madeira em um ambiente mais silencioso ou com uma estrutura metálica projetada para condições mais exigentes, como aquela projetada para embarque e desembarque de passageiros.

Definir cookies

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência durante a navegação. Os cookies classificados como necessários ficam armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. Estes cookies serão armazenados no seu navegador apenas com o seu consentimento. Porém, a desativação de alguns destes cookies pode afetar sua experiência de navegação.

Necessários

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para o funcionamento adequado do site. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem as funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Estes cookies não armazenam nenhum tipo de informação pessoal

Não necessários

Cookies não necessários são aqueles que podem não ser particularmente essenciais para o funcionamento do site e são usados ​​especificamente para recolher dados pessoais do utilizador através de análises, anúncios e outros conteúdos incorporados. É obrigatório obter o consentimento do utilizador antes de utilizar estes cookies no seu website.